Porque a autoestima interfere tanto na nossa felicidade?

Sensualidade é uma questão de atitude
28 de março de 2020
Mostrar tudo

Porque a autoestima interfere tanto na nossa felicidade?

O conceito de autoestima vai muito além do que pensamos sobre nossas características físicas e corporais. Ter boa autoestima implica também em se sentir capaz e merecedora de realizar os mais variados sonhos na área profissional, pessoal e amorosa.

Nas questões profissionais, a pessoa com baixa autoestima prefere abrir mão dos seus sonhos. Ela não se movimenta em busca de aperfeiçoar seus conhecimentos, sente medo e por isso acaba se sujeitando a viver com muito menos do que merece.

Não possui boas relações no ambiente de trabalho, sente-se constantemente injustiçada e não reconhecida, e fortemente ameaçada pelos colegas de profissão, que possam apresentar um desempenho melhor do que o dela.

Uma pessoa nessas condições tem poucas chances de atingir o sucesso. Até porquê, ela mesma não acredita nesta possibilidade.

Na vida amorosa, a escolha do parceiro também acaba sendo fortemente influenciada pelos sentimentos de desmerecimento. Isso, infelizmente, resulta em relacionamentos tóxicos e abusivos, ou então, na dificuldade de se estabelecer um compromisso duradouro.

Nos relacionamentos tóxicos a autoestima torna-se ainda mais fragilizada, pois o parceiro, costuma utilizar-se de palavras e ações que abalam fortemente a autoconfiança da mulher.

Num cenário como esse, sentir-se feliz, amada e realizada torna-se praticamente impossível. É preciso reconstruir uma nova forma de ver a si mesma e ao mundo ao seu redor, estabelecer limites saudáveis em todas as relações e criar condições para a expansão profissional e pessoal.

AMAR A SI MESMA É UM GESTO DE CORAGEM.

Renata Loyolla
Renata Loyolla
Renata Loyolla é bailarina e professora de danças árabes, há 20 anos e coach especializada em desenvolvimento feminino e autoestima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *